A velocidade com que o mercado está se transformando exige um olhar crítico e atento de quem se propõe trabalhar com e-commerce. O que ontem era uma especulação, hoje é realidade – tornando o desafio de se adaptar às mudanças e se manter competitivo ainda maior. O social commerce é um ótimo exemplo de tendência que virou oportunidade em um piscar de olhos. Hoje, explorar esse formato de venda é essencial, já que as redes sociais são responsáveis pela maior parte do tempo que os usuários de internet passam online.

O conceito é amplo e é utilizado de formas diferentes por cada plataforma. De qualquer maneira, o resultado é muito parecido: clientes estão mais satisfeitos e, consequentemente, permanecem por mais tempo nas redes sociais. 

Abaixo, contamos um pouco como essa prática vem evoluindo com os anos e como você pode se beneficiar disso!

A evolução do social commerce no mercado de e-commerce

Apostar nas redes sociais como canais de venda é uma tendência que já vinha sendo apontada em estudos do setor, inclusive, na última edição do relatório Webshoppers, da Ebit. O que talvez ninguém esperava é que, em pouquíssimo tempo, seria possível visualizar não somente os preços dos produtos mas uma página de venda completa, cheia de informação, com descrição do item, valores, fotos e um link direto para o site da loja – o que criaria uma experiência totalmente nova aos usuários

Não há dúvidas de que é uma inovação muito relevante. Mas não se engane. O conceito de social commerce é mais antigo do que parece. Na prática, o “comércio social” surgiu há muito tempo. Na vanguarda, marcas como Avon e Tuppeware marcam o início de um relacionamento baseado em conexões sociais, no qual revendedoras apostavam em uma linguagem atrativa para anunciar os produtos e investiam em criar uma relação de intimidade e confiança com os clientes. Esse formato é conhecido mundialmente e transformou pequenas empresas em marcas de sucesso consolidado, como é o caso da Avon.

O conceito se expandiu e se tornou o que conhecemos hoje por social commerce: processo de venda que acontece por meio (ou com o auxílio) de plataformas que permitem interação entre as pessoas, como o Facebook, o Pinterest e o próprio Instagram

No facebook, por exemplo, a função “Marketplace” vem apresentando uma aderência expressiva desde o seu lançamento, com anúncios de diversas categorias, como roupas, acessórios, eletrônicos até aluguéis de imóveis. A atualização veio para otimizar um processo que já existia na plataforma por meio dos grupos de troca, compra e venda. Além do shopping virtual do Mark Zuckerberg, os e-commerces também foram contemplados com mais uma funcionalidade. O botão “Comprar agora” leva com apenas um clique para o site da loja em questão.

Social Commerce

Leia também: Seu negócio está preparado para o mobile commerce?

Por que você precisa investir nesse formato?

A relação entre produto e consumidor tem se transformado com os avanços da tecnologia e é cada vez mais perceptível, sobretudo, a relevância da internet no processo de compra e venda. Pesquisas tornam essa influência ainda mais palpável: um estudo do SPC Brasil apontou que nove em cada dez brasileiros com acesso à internet tem o hábito de pesquisar online antes de realizar compras em lojas físicas e um relatório da PWC mostrou que 46% dos entrevistados consideram as redes sociais a fonte mais influente na decisão de consumo. 

Ou seja, mais do que uma tendência, investir em anunciar produtos nas redes sociais é uma ação que coloca o cliente no centro da estratégia. Afinal, essa também é uma demanda do público. Mas você pode estar se perguntando: o que eu ganho com isso? 

A resposta é simples. Você potencializa as suas vendas. Isso porque, ao oferecer a possibilidade de compra sem migração entre plataformas ou, até mesmo, migração com apenas um clique, você diminui as chances de desistência, mostra ao cliente que a loja está em constante atualização, expande a presença e lembrança da marca e, acima de tudo, garante uma experiência de compra memorável para o usuário.

Conhecida pela constante inovação, a Magazine Luiza é um exemplo de empresa que se adaptou muito bem à transformação do social commerce e hoje já apresenta uma comunicação consistente no instagram aliada à função comprar (tag com sacolinha). 

Social Commerce

Além de usufruir de forma plena as funcionalidades da ferramenta, a Magalu ainda aposta em uma linguagem atrativa para anunciar seus produtos e preza pela interação com o público.

E aí, conta nos comentários o que você pensa sobre essa tendência!

Deixe um comentário

Fale conosco

+55 51 3276-6485

+55 11 97670-5858

Envie um e-mail

Av. Dr. Nilo Peçanha, nº 1851, Conjunto 301 - Bairro Três Figueiras Porto Alegre, RS - Cep 91330-000

Veja no mapa

AxiomThemes © 2020. All rights reserved.