size_590_inflacaoO comércio eletrônico tem apresentado uma forte aceitação do público brasileiro. Hoje 94,2 milhões de pessoas têm acesso à internet e desse número 42 milhões procuram lojas online e fazem sua compra por ali mesmo. Acabam localizando o produto desejado com somente um clique mais prático e mais rápido. A tendência deste novo mercado é que você encontre valores mais baixos que nas lojas físicas.

De acordo com recente publicação da Exame.com, os produtos online tiveram uma redução de 0,28% no primeiro semestre do ano em seus preços. A queda se deve a tendência deflacionária verificada ao longo de 28 meses. Celulares, games, vestuário e decoração foram os principais destaques que tiveram redução.

Foram 151 categorias analisadas e, dentre todos os produtos, 86 tiveram queda média de 0,51% e 65 tiveram aumento de 0,37%. Dentre as mercadorias que viram seus preços decaírem, os artigos para cama, mesa e banho foram os campeões com -3,48%. Seguido por depilador elétrico (-2,56%), camisas oficiais de times de futebol (-2,47%), barracas (-1,65%) e climatizadores de ar (-1,47%). Já em contrapartida, os itens que tiveram acréscimo nos valores foram os aquecedores de ambiente (3,40%), calculadora (2,39%), mochila para notebook (1,49%), mixer (1,36%) e lavador a jato (1,27%).

O auxílio das plataformas de monitoramento
Para as empresas que trabalham com ferramentas de monitoramento de preços, essa queda dos valores não é uma surpresa já que softwares informam os preços de todas as lojas que trabalham com e-commerce. Assim o administrador pode visualizar a página de rastreamento em tempo real de sua loja e das demais percebendo se há baixa nos valores em outros estabelecimentos. Mesma coisa para quem trabalha com a marca dos produtos.

Outra vantagem é que o lojista poderá ter um panorama ainda mais abrangente pelo histórico das mercadorias. Isso possibilita o gestor obter a informação quanto à evolução do preço ao longo do tempo. Isto facilita na troca de informações entre os setores da empresa.

Dos dez grupos de produtos que foram analisados, pelo menos sete mostraram a baixa em sua cotação. Os que obtiveram maior queda foram os eletrônicos (-12,34%), causado principalmente pela venda de televisores. Outros objetos que são campeões de vendas e tiveram seus preços inferiores foram as máquinas fotográficas (-9,65%) e celulares (-9,42%). Os artigos de vestuário também apareceram nesta lista com -12,09%. Os Eletrodomésticos, que possuem o maior peso no e-commerce, tiveram baixa nos valores de 0,56% no período.

Texto criado exclusivamente pelo setor de jornalismo da WebGlobal. Com informações de Exame.com

Deixe um comentário

Fale conosco

+55 51 3276-6485

+55 11 97670-5858

Envie um e-mail

Av. Dr. Nilo Peçanha, nº 1851, Conjunto 301 - Bairro Três Figueiras Porto Alegre, RS - Cep 91330-000

Veja no mapa

AxiomThemes © 2020. All rights reserved.