O e-commerce é um dos setores mais promissores atualmente. Apesar da intensa competitividade, alguns aspectos têm atraído cada vez mais consumidores para esse formato, mostrando que ainda há muito espaço a ser explorado. A praticidade em comprar online, a facilidade na comparação de preços e as infinitas oportunidades de promoções e condições de pagamento também chamam atenção do cliente.  

A intenção deste artigo é abordar desde tópicos para iniciantes nesta área como para os mais experientes. Por isso, se você tem interesse em montar o seu próprio negócio, procura dicas para adaptar a sua loja física para o digital ou quer aperfeiçoar seus conhecimentos no setor, continue lendo esse conteúdo e descubra, definitivamente, o que é e-commerce, quais as suas vantagens e o que você precisa fazer para tornar a sua loja um sucesso. 

Afinal, o que é e-commerce?

Abreviação da expressão em inglês eletronic commerce, o termo e-commerce se refere às transações comerciais realizadas unicamente via internet. Aqui no Brasil, também chamamos de comércio eletrônico. Para que o negócio se enquadre no conceito de e-commerce, o processo de compra e venda precisa acontecer no meio digital do início ao fim, apoiado por ferramentas como smartphones, computadores, tablets etc. 

É importante frisar que o grande diferencial entre um e-commerce e uma loja física é o modelo de negócio. O empreendedor que opta pelo primeiro formato tem preocupações muito semelhantes às do segundo, pois ambos precisam investir em logística, estoque, funcionários, divulgação e por aí vai. No entanto, o modelo de negócio de um e-commerce é construído com base no meio digital, levando em consideração as suas particularidades, vantagens e desafios. 

Os produtos e serviços comercializados em lojas físicas, portanto, podem ser vendidos em lojas virtuais, sem contraindicações. Basta ter iniciativa, planejamento e criatividade. 

Como o comércio eletrônico surgiu?

Os estudos sobre a origem do e-commerce são um tanto controversos. Se você for pesquisar agora no google, verá que vários sites trazem versões diferentes sobre como o comércio eletrônico surgiu e, principalmente, sobre a primeira transação de compra e venda realizada online. Por isso, reunimos apenas informações confiáveis para tentar chegar o mais próximo da realidade.

O empreendedor e executivo do setor de TI, Michael Aldrich, foi um dos precursores do e-commerce. Em 1979, ele apresentou o Videotex, um sistema que possibilitava transações online por meio de uma televisão modificada, conectada a linhas de telefone. 

Alguns anos depois, em 1984, a britânica de 72 anos, Jane Snowball, foi a primeira pessoa no mundo a realizar uma compra pela internet. A usuária pediu margarina, ovos e cereais ao supermercado por meio do Videotex. O momento foi tão representativo para a história que ela foi entrevistada durante o pedido! Na época, as compras foram entregues pessoalmente e o pagamento foi feito em dinheiro. 

Seis anos depois, era lançado o primeiro buscador web. Criado por Tim Berners-Lee, o World Wide Web iniciou o processo de democratização da internet ao redor do mundo e, consequentemente, impulsionou a evolução do comércio eletrônico também. 

Então, em 1995, com um investimento baixíssimo, o americano Jeff Bezos iniciou uma loja online de livros na garagem de casa, chamada Amazon. No mesmo ano, é anunciado o primeiro produto no eBay. E, em 1999, nasce o grupo Alibaba, na China.

No Brasil, a história foi bastante semelhante. Em 1995, o brasileiro Jack London viaja até Seattle com o objetivo de conhecer a sede da Amazon. No mesmo ano, segundo informações do E-commerce Brasil, ele cria a Booknet, considerada o primeiro e-commerce em terras canarinhas. Depois de vendida a um grupo financeiro a loja passa a ser chamada de Submarino.

Confira abaixo uma linha do tempo sobre o surgimento do e-commerce:

Você sabe a diferença entre e-commerce, loja virtual e marketplace?

Caso a resposta seja não, fique tranquilo. É comum haver confusão entre as três expressões, principalmente, porque muitas pessoas acreditam que abrir um e-commerce é abrir uma loja virtual. Contudo, é fundamental entender que montar a loja virtual é apenas uma das etapas de abrir um e-commerce. A loja virtual é o site, o portal de vendas. O e-commerce é o negócio como um todo e envolve todos os processos relativos a construção de um empreendimento. 

Já o marketplace se refere a um tipo de e-commerce. É uma variação na qual a loja virtual não é própria. Assim, o marketplace assume uma função de intermédio entre o consumidor e o vendedor, oferecendo a plataforma para anúncio e pagamento dos produtos. 

Também chamado de shopping virtual, esse espaço online permite que consumidores encontrem produtos e ofertas de diversos vendedores. Ao cadastrar os produtos no marketplace escolhido, o vendedor pode usufruir de toda a estrutura e divulgação que o site oferece – inclusive, colherá os benefícios do alto tráfego de usuários, atraídos pela força da marca e credibilidade do marketplace. Assim, seus produtos irão aparecer para um público amplo e diverso.

Quais as vantagens de abrir um e-commerce?

Desde 2003, o setor de e-commerce vem apresentando um crescimento consistente, conforme dados da Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm).  Apenas em 2019, o setor apresentou um crescimento significativo de 22,7% e alcançou um faturamento de 75,1 bilhões de reais, de acordo com a segunda edição do relatório Neo Trust


Apesar dos números atrativos, empreendedores de primeira viagem ainda se questionam sobre as vantagens de abrir um e-commerce. Para sanar todas as dúvidas quanto a isso, reunimos cinco benefícios em investir nesse formato. Confira o artigo completo aqui.

Tipos de e-commerce: conheça as diferenças de cada um

Quando se fala em e-commerce, o primeiro formato que vem à cabeça é o tradicional Business to Consumer (B2C), no qual a empresa vende seus produtos diretamente ao cliente final. No entanto, com o passar dos anos, à medida que o mercado foi sofrendo transformações, outros tipos de e-commerce foram sendo criados.

Hoje, o comércio eletrônico já pode ser categorizado de diversas formas considerando, por exemplo, se os bens que estão sendo comercializados são produtos (físicos ou digitais) ou serviços (presenciais ou à distância). Aqui, decidimos classificá-los a partir do perfil de quem está participando da negociação, se é pessoa física ou jurídica. Aqui, você confere os principais tipos de e-commerce e pode definir qual é ideal para o seu negócio.

Deixe um comentário

Fale conosco

+55 51 3276-6485

+55 11 97670-5858

Envie um e-mail

Av. Dr. Nilo Peçanha, nº 1851, Conjunto 301 - Bairro Três Figueiras Porto Alegre, RS - Cep 91330-000

Veja no mapa

AxiomThemes © 2020. All rights reserved.